Angústias, minúcias, saudades, vontades

17 de dezembro de 2015

"Nasci quando o sol beliscou meus olhos me chamando para um café. Como um diabinho tentador meus cobertores sussurravam em meu ouvido “it's cold, stay”. Mais uma leve cutucada dos raios, e um breve cafuné do vento. Nada que a chuva não resolva - foi o que eu pensei. Com grãos molhados castigando as flores, afogando as cores. Ficou tudo “cinza-dia-de-amargar”. Mudei de pensar. Chuva não resolve, absorve um pouco das saudades deixadas sobre a mesa, mas não resolve. Vento veio aconchegante como mordiscadas de penas verdes falantes, sorrateiro sem deixar vestígios, varreu minhas angústias e saiu voando alto, como devedor de botequim. Nunca mais voltou. A aparência do céu era serena, mas em seu poço várias pedrinhas eram atiradas por segundo. Nada de calmaria, pura maresia ia de um lado para o outro fazendo com que algo quisesse fugir. Chuva. Choveu dos meus olhos pesadas cenas de cinema que eu tive a impressão já ter visto antes. Traillers passaram depressa sob a ligeira distração do firmamento. “Céus”. Acredite, essa foi de dor. Dor da falta de qualquer coisa viva. Qualquer motivo que espumasse entre os dentes sem presença de “Sorriso”. Como que por costume, vi o sol se espreguiçando para mais um dia de trabalho. Irredutível, castiga a terra, racha, mata. Enterro sem choros altos demais, sem lágrimas visíveis após pousarem sobre as maçãs pinceladas de vermelho que tentavam esconder a vontade gritar palavras proibidas por algum ministro. Passo a passo que dou meu sapato afunda na grama como que por protesto de querer ficar ali mais um minuto, olhando o nada. Percebendo os detalhes sórdidos e até os mais polidos. Bem, diante dessa poeira órfã de mãe, o vento resolveu pagar sua conta para poder voltar e fazer seu papel de pai. Agora sem chão só me restava voar. Se alto ou não, era escolha minha, minha vida estava em minhas mãos e eu só precisava marcar a alternativa correta, como nessas provas de múltipla escolha. Caíram de uma nuvem como chuva alguns pingos d’água que mais pareciam orvalho, e também um papel onde cantavam os passarinhos uma parte daquela canção: “Lave bem as suas mãos antes de se decidir”. Uma combinação, a água insossa livrou minhas mãos das manchas amarronzadas, mas não das dúvidas. Faltavam-me agora as lembranças de saudade. Mas a chuva já tinha levado. Porque eu não tirei a mesa do café?!!! Culpa minha. Agora só resta vasculhar o buraco no lado esquerdo do quarto. Inútil. Mais oco que pote de bala depois de cinco minutos na mão de uma criança. Roubo. Porque foi a mão e pés armados, como uma cobra pronta para dar o bote, como podem ter me levado tudo se eu não tinha nada. Agora sem mente, só podia dizer a verdade. E eu vou lhes dizer a verdade sobre a verdade: ela dói e por isso nós mentimos. Uma injeção por dia, uma bofetada por minuto. Carne e osso roçavam a pele toda vez que a voz pulava corda, escalava a garganta e rodopiava feito pião até se chocar com o ar gélido da estação. Suspiros cor-de-rosa decoravam o interior de um vulcão quente de luzes alaranjadas, cheio de lavas quentinhas, prontas para servir. Só faltava quem quisesse ter seus órgãos servidos “a la carte”. Assim como sempre falta quem quer ter seu coração aquecido em fogo alto, por medo de queimar. Mas coração reconstrói, se tem uma coisa no corpo que nasce novamente é o dito coração. Coração é como um quebra-cabeça de cinco mil peças. Demora. Mas, mais dia menos dia está emoldurado na parede mais colorida da sala, onde bate o sol, um esboço de romantismo. A inveja da lua, em carne viva."

Isadora Markus

Dress Code Match

16 de dezembro de 2015

Gente, tudo bem?!! 

Como prometido estão aqui as fotos dos bastidores, dos looks de todas as competidoras, decoração e tudo que rolou no Dress Match Code na terça-feira da semana passada. Estava tudo lindo, puro glamour, e não seria diferente sendo um evento da Maximus, né?! Ahh, aqui está o link da reportagem que eu fiz pro programa Ver Mais sobre o evento, tá bem legal e vale a pena conferir, viu?! Espero que vocês sintam um pouquinho da energia e do que foi o Dress Code, e ano que vem tem mais. Mais uma vez, obrigada Junior, equipe Maximus e Linha Phina pelo convite e por essa noite que com certeza vai ficar na memória de todas as participantes.


























































Fotos: Rodrigo Vieira



Isadora Markus • Todos os Direitos Reservados • Copyright © 2016 • Powered by Blogger • Desenvolvimento por